13 julho 2013

Conheça o Chile!


Vá pro Chile no inverno! Particularmente não gosto muito de inverno. Pra mim é sinônimo de pele seca, nariz muito vermelho e pé gelado. O que me atraí mesmo são as roupas e as deliciosas comidas.
Mas porque estou indicando para ir no inverno? Porque é simplesmente lindo! Os jardins floridos me lembram a Europa e as montanhas geladas das Cordilheiras dos Andes, são uma atração a parte.







A moeda de lá é o peso chileno e a conversão para o real é um drama. O dinheiro tem muitos zeros e não tem centavos. Por isso, é bom baixar um programinha que faça a conversão automática com o câmbio do dia.
A brasileirada tava achando que comprar lá era muita vantagem, mas na hora o preço fica quase o mesmo do Brasil. Explico, é que quem viaja pela América do Sul, especialmente para a Argentina está acostumado com o real mais valorizado, então é bom para as compras. Só que isso não se aplica no Chile. Um real equivale a 250 pesos (mais ou menos) e com esse dinheiro não se compra quase NADA lá. Onde quero chegar? Uma garrafinha d´água na maioria dos lugares que fui era 1300 pesos, ou, traduzindo dá mais de R$ 4. E por aí vai.
Se vai comprar no país faça muitas contas, pois a confusão cambial pode enganar.

>> Compras
Sempre depende do que procura.

Se roupas, indico o Costanera Center lá tem Zara, Mango, Top Shop, H&M, Falabella (que tem diversas marcas: Calvin Klein, Levis, Mango, DNKN,), Paris e mais um monte de outras. É o shopping mais perto do Centro, dá uns 4 mil pesos de táxi

No Parque Arauco, que é um pouco mais distante, tem todas as lojas acima mais um monte de outras, além de uma linda praça de alimentação. Só que achei que o Costanera tem as vitrines mais bonitas  e com mais variedades. Achei muito barato os jeans Calvin Klein e Levis, estavam por 15900  pesos.

Se quer sapato, não indico o Chile. Eu que sou uma aficionada, olhei pro pé de todo mundo que caminhava pelas ruas e shoppings e não vi nada que agradasse então  achei que era o reflexo das lojas. Muitos calçados feios, caríssimos. O que era bonito estava na vitrine das lojas brasileiras: Via Uno e Carmen Steffens, mas os preços daqui são mais baratos. Ah, cheguei a comprar 3 calçados: uma sapatilha e uma bota biker da Zara e uma outra bota da Marquis. Estavam com preços ótimos, lembrando que a Zara tem padrão mundial, então é mais fácil e indicado comprar.

Bolsas, tem Guess e  não sou tão fã da marca. Aldo, tinha essa lindona aí, estava com um preço maravilhoso (na promoção).

No Centrão tem Falabella, Paris e Rippley. Dentro delas te dezenas de stands de marcas. Acho barato comprar Jeans da Ellus, blusinhas da Mango.

Eletrônicos, sempre me perguntam. Custam um pouco mais barato que no Brasil, mas aqui tem a vantagem de dividir de X, Y, Z vezes.

Vinhos Chilenos estão entre os melhores do mundo. O preço é bem digno, INDICO comprar. Só não indico rótulos, pois vinho é algo de gosto bem particular, não é como uma cerveja.

>> Hotel



O melhor hotel é aquele que oferece os melhores custo X benefícios e tem a melhor localização.
Indico o Plaza San Francisco porque fiquei hospedada nele 2 vezes. Fica na região Central de Santiago, onde tem tudo perto: lojas e locais turísticos. De lá partem ônibus – grátis – que levam para o Shopping Parque Arauco.
O café da manhã é fantástico e o restaurante é super premiado.

Outro dia vi um Radisson na região de Providência, perto do Shopping Costanera Center, achei o máximo !



>> Comer

Comer no Chile é muito fácil. Tem uma infinidade de restaurantes pra quem tem o o gosto apurado, e as famosas fast food´s mundiais pra quem quer apenas encher a barriga: Kentucky fried chicken (rede de frango frito, muito muito barato) e  Mac Donalds (ainda não conheci um país que não tenha). 
Se vai a restaurantes, é preciso fazer a reserva antes para evitar o risco de ficar sem mesa.

*** Veja na tag Gastronomia as dicas de restaurantes no Chile 

>> Transporte
Santiago tem uma boa cobertura de linhas de metrô que ligam os extremos da cidade. É uma boa opção de transporte.

Já o táxi, gente, tivemos uma experiência péssima na cidade, o taxista literalmente ROUBOU a gente no taxímetro na volta de um restaurante que ficava a 2,3 km do hotel. Na ida pagamos cerca de 2500 pesos e na volta 9700 pesos (quase o mesmo tanto para ir até o aeroporto). 


Pedimos um táxi na rua, e logo que entramos percebemos que o taxímetro estava rodando a segundos. A cada acelerada aumentavam 500 pesos.A gente crê na boa fé das pessoas, e lógico, jamais imaginaríamos que o cara era um golpista. Em resumo, ele não parou na porta do hote como pedimos e insistiu que aquele era o preço. Meu marido deu a nota de 10 mil pesos, e o taxista, finge que na verdade recebeu uma nota de 1000 pesos (que também é verde). Claro que, sendo brasileiros, percebemos que se tratava de um golpe, mas é chato e a gente não esperava. Pra terminar, ele deu o troco e  uma nota fiscal adulterada, para que a gente não soubesse a placa dele. E vejam, a quilometragem foi a mesma de ida e volta.
Fiquei com medo dos taxistas da cidade, e os chilenos amigos disseram que há pouco controle de taxistas na cidade e que isso pode acontecer mesmo.

Fica a dica>> CUIDADO com taxistas no Chile. Prefira os taxistas indicados pelos hotéis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...