29 janeiro 2012

Jantar no O Dádiva (28.01.2012)

O Dádiva é um restaurante de comida contemporânea. Quem comanda a cozinha é Felipe Rameh que trabalhou como assistente do chef Alex Atala no programa Mesa para Dois (GNT) e no renomado D.O.M em São Paulo. No site tem uns vídeos dos principais pratos, chama a atenção.
Sobre o local: Confesso que já tinha passado pela rua Curitiba centenas de vezes e nunca tive a curiosidade de parar, apesar de achar a decoração linda, paredes em vidro e com um lustre grande e  chamativo! O ambiente é muito agradável pra dois, tem mesas grandes para mais pessoas.
Atendimento: Se você preza um bom atendimento desde a hora que aparece na porta de um restaurante, digo que O Dádiva não deixa nada a desejar. Hostes, garçons, sommelier:  todos educados, atenciosos, rápidos. Lembrando que é sempre bom fazer reservas antes.
Entradas:  Tinha ouvido falar que as entradas são fantásticas e substituem o jantar de tão gostosas. O destaque era para o Atum fresco mi cuit com nori e extrato de romã.
* Antes de continuar, tenho que explicar algo  que vai ficar mais explícito em todos os meus posts. Tenho a incrível capacidade de sempre escolher o que está em falta no cardápio. Não aconteceu uma, duas vezes, é recorrente. Por isso sempre tenho dois pedidos em mente quando escolho no cardápio, porque sei que o primeiro tem 99% de chance de não ter...
Mas enfim, voltando às entradas do O Dádiva, já tinha pensado, ouvido falar e queria muito ter tido a chance de degustar o atum fresco maçaricado, mas como não fugi da regra acima, o atum estava em falta. A segunda opção então  e que de cara chamo de deliciosa, foi o Palmito Pupunha Assado com Manteiga Noisete. O prato serve duas pessoas e realmente surpreende. 
Não anotei o preço, mas estava entre os R$ 40. Nota máxima: 5 !
Prato principal:  Já tinha pesquisado o cardápio, visto o vídeo e escolhido para jantar  a massa negra com atum fresco e confesso que fiquei decepcionada pela falta do atum. Tinha mentalizado para o marido Guilherme (mulheres fazem isso, hehe) o arroz negro com polvo (ele adora polvo e eu queria experimentar...) e cheguei a comentar com ele. Resultado: o polvo estava em falta também.....
A segunda opção do Gui foi o Arroz de pato com raspas de laranja, presunto de parma e radicchio.

Provei, lógico! Estava bem harmonizado, as fatias de pato estavam saborosas, mas não achei a receita surpreendente. Preço: acho que R$ 72 . Nota:  4
Eu desisti do jantar e optei por uma opção que eles chamam de petiscos (e fica no cardápio de bebidas) um Filet Curado e selado na manteiga, “servidos mal passados e em uma evolução de sabores, guarnecido com rúcula, tomatinhos, shimeji, alho negro e parmesão”, descreve o menu. 

Na minha avaliação o filet estava saboroso, tenro, temperado, mas nada de fantástico, inovador ou surpreendente.
 Nota 3. Preço: Acho que R$ 33
Carta de vinhos: O restaurante tem uma adega bem completa com 350 opções segundo o site. São vinhos  sul africanos, libaneses, gregos, austríacos, australianos, neozelandeses,húngaros,uruguaios dentro muitos outros. Quanto ao preço, o preço gente é algo que importa sim. Degustar um bom jantar pede um bom vinho, mas ele tem que ser compatível à proposta do restaurante. É vender comida ou o vinho? Os rótulos mais baratos estavam na faixa dos R$ 80 e outros na faixa dos R$ 4000. Pra quem conhece um pouco ou viaja, sabe que alguns dos rótulos apresentados não valem o preço. Estava em busca do francês frutado Arrogant Frog-Languedoc, um vinho bem leve, saboroso e difícil achar em BH. Desanimei quando vi o preço de R$ 91. Em outros restaurantes já pagamos muito, muito menos pela mesma garrafa. Ficou pra depois ! Não foi possível dar nota
Sobremesa: Petit Gateau Mineiro, que está descrito no cardápio exatamente assim: bolinho quente de doce de leite com calda de interna de goiabada, sorvete de creme e molho de queijo.  O prato estava com uma apresentação bem apetitosa, mas engana desde o cardápio.
Desde o cardápio porque o prato não é exatamente a descrição dele. O bolinho de doce de leite é até gostoso, mas ficou por aí.  Pra mim a calda interna era uma calda sobre o sorvete ou o bolinho, mas no imenso prato haviam DUAS bolinhas de goiabada rala espalhadas no prato, junto com outras DUAS bolinhas do que chamaram de molho de queijo e outras duas minúsculas de doce de leite. A colher funda não conseguiu recolher esse creme ralo, que na verdade não dava nem para sentir na boca de tão pequenos. Nem a goiabada era em calda nem o queijo estava em consistência de molho.
Não cheguei a comentar  com o chef, mas fiquei muito desapontada! Nota 2 . Preço R$ 18
Avaliação Geral
De positivo: a  tem decoração bacana, atendimento impecável, banheiros limpos, e o Palmito Pupunha da entrada é fantástico.

De negativo: as entradas famosas estavam em falta. O atum e o polvo, que também não tinham. A sobremesa não foi satisfatória, pois não estava compatível com o descrito no cardápio. A carta de vinhos é completa, mas os preços....
Nota 3 * mas voltaria em outra oportunidade para provar o atum e o arroz negro com polvo.

* Siga Coisas de Madame no Twitter: @cdmadame
Faça seu cadastro no blog e concorra a sorteios


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...